Uma rapidinha.

Ontem, quando eu estava voltando do trabalho, fui para o ponto de onibus (que fica do lado do Vittoriano, ou Vittorio Emanuele) e pude ver, as 2.30am aos ensaios pro desfile de 2 de Junho, que, apesar de ser o dia da Republica aqui, é equivalente ao nosso 7 de Setembro (e nao ao 15 de Novembro). Apos a espera de aprox. 45min (que saudades do Baia Movel) pelo onibus, ele aparece. Tive sorte e consegui um lugar pra sentar no meio dos Bangladeshis e de alguns romenos (tudo em Roma; o que nao é a globalizaçao…). Bueno, quando estavamos nos aproximando na Estaçao Central (Termini), que é onde desce um monte de gente e entra “carne nova”, um dos romenos decide vomitar no chao do onibus (que saudades do Baia Movel 2). Bueno, ele sai e eu continuo no onibus.

Entra a gente nova. Como é razoavelmente normal aqui, entraram duas punks (com cabelos que mais parecem penugens de passaros) com algo em torno de 37 piercings pelo corpo (cada) com um cachorro na coleira. As duas sentam no lugar onde tava o romeno. Um monte de gente entra tambem e nem se da conta do vomito, sò o cachorro. E nao é que o cusco punk, as 3 da manha, decidi lamber o chao e limpar todo o vomito romeno?

E foi ai que eu descobri a “funçao social do cachorro punk no onibus noturno”, direito que, certamente, sera inserido como garantia fundamental em alguma emenda constitucional doravante.

Carissimos amigos e familiares,

Me lembro que terminei o ultimo post (que ja faz um tempo) dizendo que poderia esclarecer se a mulher do meu chefe estava, de fato, me “seduzindo”. Ja aviso: nao, nao estava. Tambem, no segundo dia, ja larguei esse emprego. Decidi isso depois que, as 4 da manha de uma segunda-feira eu tive que ficar presenciando uns 5 bebados se arriando num travesti (que dizia ser “assexuado” quando perguntado/a qual era o seu sexo), esperando pra fechar o bar. Eu nao preciso disso.

Em seguida ja consegui outro emprego. Sou promoter de uma festa pra estrangeiros que tem todos os dias. Ganho por comissao de quantas pessoas forem na festa enviados por mim. Se eu levar gente suficiente, ainda posso trabalhar durante a noite, o que me garante mais 40 euros além das comissoes por cada pessoa. Se eu trabalhar bem, levar bastante gente todas as noites (isso inclui acordar bem cedo e ir a lugares turisticos, como o Coliseu, Vaticano etc). A vantagem desse trabalho é que eu vejo gente de todos os lugares, trabalho a hora que eu quiser, quando eu quiser e vou aos mais belos lugares da cidade. As desvantagens incluem a rejeiçao de varias pessoas, as promessas de que vao na festa e acabam nao indo, o risco de tu convidar 150 pessoas durante 6h no sol e nenhuma ir na festa, além do fato de eu falar quase que exclusivamente ingles. Uma das razoes pelas quais eu vim aqui pra Roma era pra melhorar o meu italiano, dai eu tenho um trabalho onde falo ingles (que vai bem, obrigado).

Na primeira semana eu nao fiz um bom trabalho. Levei soh 4 pessoas a semana inteira! Eu pensava “ah, isso vai ser facil, nao tem muito o que aprender”, mas, de fato, tem sim o que aprender. Na segunda semana acabei perdendo o medo da rejeiçao, desenvolvi o meu poder de convencimento e fiz um trabalho bem melhor. Levei mais de 35 pessoas e consegui trabalhar 4 vezes na noite. Ja deu, soh nessa semana, pra pagar o aluguel do mes inteiro.

Essa semana tambem to mandando bem. Em um dia, levei 21 pessoas. To empolgado agora. Mas tenho de admitir que Adilson Maguila tinha razao quando disse que “o trabalho danifica o homem”: ir para a noite todos os dias nao é facil. Mas é da vida né. Pra manter o pique, tenho procurado me alimentar melhor, comendo mais salada, frango, iogurte e sucos e tentando diminuir um pouco na massa (que continua saindo muito boa).

Outra boa nova é que vou me mudar! Consegui achar uma casa e vou para um lugar melhor, mais perto e com transporte melhor; o bairro se chama Monteverde, é logo depois do Trastevere. Antes eu demorava uns 25-30min pra chegar de onibus até a estaçao central, onde eu trocava de onibus e demorava mais uns 10min até chegar ao centro historico. Agora, quando eu for pro novo apto, serao 15min de bonde até o centro historico, uma maravilha! Vou dividir quarto com um italiano e na casa tem ainda mais 2 italianos e uma americana. Vou pagar praticamente a mesma coisa que pagava no apto atual.

Bom, o resumo da opera é que estou feliz! Antes tava meio depre porque nao estava gostando do trabalho, depois eu nao estava indo bem no trabalho novo, mas agora ja estou conseguindo fazer direitinho e me sustentar. Até me dei alguns luxos, como comprar 2 camisas de futebol antigas, uma da Italia da copa de 98 e outra do Borussia Dortmund (o time do Tinga) de 99. Uma beleza! Espero que na proxima semana o pay check venha gordo de novo, quem sabe nao posso me dar mais alguns luxos!

As saudades tem aumentado bastante. Espero manifestaçoes, inclusive as piegas, de carinho. Hehehehe

Beijos e abraços a todos!

Marcos

Foram 7 dias de muitos acontecimentos desde a ultima vez que dei o ar da graça aqui. Começou que fui no show/festival de Primeiro de Maio, onde teria o show do Jorge Ben. Nao soh teria como, de fato, teve. Esperamos durante cerca de 5 horas até começar o show dele. Ai ele toca “Homem da Gravata Florida”, “Umbabarauma” e “Pais Tropical” e acaba o show. Isso mesmo, tres musicas. Pra quem acha o Planeta Atlantida grande, da uma olhada no que era isso aqui.

Primo Maggio

Bueno. Sexta feira me mandei pra Toscana. Liguei pro Mano, irmao do Miguel, que ta morando la pedindo asilo politico, que foi prontamente cedido. Me botei em um trem e fui. Chegando la, fui até o lugar de trabalho do Mano e ele disse pra eu ligar pro Ique, que era quem devia estar em casa. Liguei pra ele e fui largar a mochila na casa deles, que fica algo em torno de 20 metros do Palacio Pitti e uns 150m da Ponte Vecchio. Chegando la, fomos pra casa do Boni e da Gabitcha, casal que eu conheci em Bariloche e que ta na Italia ha mais ou menos o mesmo tempo que eu. Depois saimos pra dar uma volta na noite Fiorentina mas no fim soh ficamos pela rua mesmo.

Chegada em Firenze, na Piazza della Signoria

Sabado sai e dei umas mil voltas com a Manoela. Ela ja me mostrou o Gelato de 1€ (que foi o point do final de semana) e foi la que fiz a maioria das minhas refeiçoes (que acho que foram 3 em 2 dias). To numa de nao comer muito aqui, nao sei porque. Tomo bastante agua, mas como pouco. Legal mesmo foi a minha refeiçao brasileiro-pobre-porem-malandro com a Manoela. Enquanto subiamos uma colina para irmos na Piazzale Michelangelo passamos por um jardim turistico, com flores lindas e a, tchanan!, uma bargamoteira pequena. Nao tivemos duvida: um encobria o outro enquanto os alimentos eram colhidos. Bergamota – azedinha, mas tava boa – para lanche da tarde. Pela noite, soh deixo uma dica: bebam o chopp CREST. Nao é pasta de dente, é chopp. Muito bom! Domingo acordei meio tonto, com as pernas meio bambas. Achei que era a falta de comida e pedi uma pizza e nao consegui comer nem metade. Mas o litro de Coca Cola que eu tomei me fez melhorar. De tardezinha me mandei pra San Gimignano, onde fui apanhado na estaçao pelo grande Dr. Jung, meu amigo que conheci no Japao e que chamamos de Blatter. Ele e a esposa, junto com outros 3 casais, alugaram uma chacara perto de San Gimignano (com vista para os muros da cidade) e me convidaram para passar uns dias la. (In)felizmente, soh pude passar 1 dia, mas foi o suficiente para curtirmos junto esse tempo. Nel fratempo, teve a final do Gauchao. A conexao da internet la na casa que eles alugaram sofria de labirintite: fazia que ia, nao ia, e acabava caindo. Nos estavamos angustiados que nao conseguiamos escutar o jogo quando do Vitor me liga de Milao:

B: Dimmi tutto!
V: Hahahahaha…
B: Dimmi, maledetto!
V: 1×0…
B: Chi?
V: Danny Morais

Bueno, eu e o Blatter festejamos e eu ja avisei o Vitor para me ligar de novo com qualquer noticia. Ele me liga 10min depois pra anunciar o segundo gol do Inter: Fernandao. Quando ele ta me contando como foi, anuncia: 3×0. Me liga de novo pra contar o do Alex. Festa na Toscana, festa no Beira-Rio. Eu e o Blatter fomos jantar, esperando as ligaçoes do Vitor, mas nada, nada, nada. Ateh que o Blatter saiu de fininho da mesa e foi no andar superior. Quando ele volta, traz as boas novas: 7×1! Eu nao acreditava! Foi ai que comecei a torrar meu celular e ligar para o Beira Rio. Falei com o Vacaria, meu pai, minha irma, o Blatter falou com o filho dele, o Crithian “Clapton” Jung. Enfim, foi uma festa. Minha mae me ligou para avisar que tava 7×1 quando ela me diz “Oh, mais um!”. Desforra, com direito a muito vinho. Eu e o Blatter saimos da casa depois do jogo e ficamos na rua, apreciando o ar de campanha em uma noite da Toscana. Rindo à toa. De repente, entre incredulidades futebolisticas, paramos subitamente de falar e abrimos os ouvidos: foguetes! Em alguma colina, atras de umas arvores, perto de San Gimignano, estavam sendo estourados foguetes. Eu e ele nao nos aguentamos. Essa nossa torcida é foda! Quando eu contei para o meu pai, a sua sensatez nos disse que podia ser do Palmeiras, que tinha ganho o primeiro titulo em 11 anos, mas eu garanto que o céu, definitivamente, nao tava colorido de verde aquela noite.

Segunda ao meio dia voltei para Roma para caçar um emprego. Comprei um jornal e sai a procura. Larguei alguns curriculos, até em loja de roupa intima, fiz algumas entrevistas, mas nada de concreto. Quarta-feira, depois de passar em alguns lugares que tinham oferta, passei umas 2h com outro amigo que conheci no Japao, o Alexandre Duarte, nosso grande Lucianinho. Ele, e esposa e as duas filhas, Julia (4 anos) e Giovanna (6 meses) estao fazendo turismo em Roma e nos caminhamos um pouco juntos, almoçamos e fomos a Basilica de Santa Maria Degli Angelli, na Piazza della Reppublica. Muito bom reencontrar os amigos em lugares lindos como esses.

Enfim. Quinta feira me ligam de um pub que fiz entrevista para eu fazer um teste a noite. Cheguei as 10 e fui ser barman. Meu primeiro dia era mais pra aprender como eles fazem os drinks, a sistematica da casa e fiquei tambem servindo chopp. Ainda tenho que aprender mais sobre os drinks, mas acho que pode ser uma boa. O problema é o horario: das 22h até fechar e, depois de fechar, tem que lavar tudo… Ontem, que nao era dos dias mais movimentados, sai de la 5h45min. Puxado. Mas vamos ver, enquanto nao achar nada melhor, fica ganhando um dinheirinho la e ja vou aprendendo tambem, ganhando experiencia… Fiquei de voltar la no sabado para ver como me saio…

Bueno, isso aqui ficou muito comprido, o que demonstra meu grande poder de sintese, e acho que ninguem chegou até o final. Se chegou, meus parachoques. Agora vou la que tenho que dar mais uma descansada, ver se volto a sentir minhas pernas. Quem sabe no proximo post eu ja possa dizer com certeza se a mulher do dono do Pub de fato estava me assediando ou eu que estava me achando muito gostoso.

Comentarios sao bem vindos. Beijos e abraços,

Marcos.

Faz um tempo que nao dou o ar da graça por aqui, entao vim escrever bem rapidinha algo, porque ja to meio atrasado pro show do Jorge Ben (“nada justifica”, né Juca?). Isso mesmo, Jorge Ben em Roma. Simplesmente frenético. Vai ser um grande show de varios artistas para as celebraçoes do “Primo Maggio”, que nao é um primo, mas sim o Dia do Trabalho. Aqui, como no Brasil, nao se trabalha no dia do trabalho. Soh o Jorge Ben…

De bom tambem posso contar que ha uns 10 dias sai para passear com a Kika, amiga da minha irma Lucia, e o seu namorado aqui em Roma. Eles estao numa viagem romantica pela Italia e Paris e, chegando aqui, fomos passear pelos pontos turisticos como Piazza Navona, Fontana di Trevi, Campo de Fiori e ainda demos uma pernada por Trastevere. Tenho de manifestar ainda o meu agradecimento a Kika por ter trazido do Brasil o capuz do meu casaco, um par de sapatos (aqui se usa muito mais seguido que no Brasil) e as minhas Havaianas (muito burro!). Depois de passear com eles peguei uma chuva de granizo na rua, enquanto eu caminhava para o ponto de onibus. Foram 30 minutos em que Roma virou o inferno, talvez o de Dante… A moral da historia é que me molhei inteiro da cintura pra baixo, inundei meus sapatos recem-comprados – o que me fez, por duas horas, ficar com a sensacao de que meus pés estavam em uma piscina – mas consegui salvar uns papeis que eu tinha e nao podia molhar.

Depois, no final de semana passado, vieram o Vitor e a Manoela pra ca. Gratissima surpresa. Fizemos programas turisticos (Coliseu, igrejas, piazzas…) e nos divertimos bastante. Algumas fotos ja tao aqui do lado pra voces verem.

Bueno, to atrasado mesmo pro show. Depois eu continuo.

“Baia maravilhaaaaaa, nos gostamos de voce…”

Eai pessoal!

Esse final de semana que passou eu estive em Milao. Fui pra la junto com a Manoela, que esta morando em Firenze, para visitarmos o ilustre Vitor Lia de Paula Ramos. Que momente, Diretoria na Zoropa! Ainda tivemos a oportunidade de conhecer o roomate dele, muito gente boa, chamado Vasco. Ele tambem é de Porto Alegre e ta morando aqui faz uns 5 meses. Além disso, tem como caracteristica marcante uma adoraçao descomunal pelos “homens cuia” (creio que de forma heterossexual).

Galeria Vittorio Emanuele, em Milano

 

Bueno, fui pra la na sexta-feira pela tarde, enfrentando alguns percalços com o sistema ferroviario italiano, uma vez que ninguem sabe te dar uma informaçao precisa e, quando te dao, ela é errada. Tive uns problemas com o meu passe de trem, que a mulher da estaçao me disse que eu nao precisava reservar assento. Ja no trem, o fiscal das passagens, na segunda vez que pediu meu bilhete, e nao na primeira, resolveu que eu tinha que ter reservado assento, querendo me cobrar ali na hora (pelo sistema do TrenItalia) os 5€ da reserva do assento mais 8€ de multa. Eu expliquei a situaçao, tentei dar o migué mas soh rolou nao pagar a multa. Dai o pessoal da minha cabine, olhando a situaçao, falou “Bienvenutto a Italia”. Por sinal, tinha um cara muito gente boa na cabine, fui conversando com ele grande tempo, era um jornalista que ja tinha trabalhado com futebol (um prato cheio de assunto) e, atualmente, fazia a seçao de Firenze do Corriere della Sera, um dos principais jornais italianos, se nao o principal.

Chegado em Milao, fomos nos quatro assistir ao show de uns porto-alegrenses que fazem sucesso aqui na Italia. A banda se chama Selton (vale a pena conferir os videos deles no youtube) e sao uns caras que tocavam pra ganhar grana no Parc Guell em Barcelona e dai (a historia é meio nebulosa, mas +- assim) um empresario italiano, da RAI (TV italiana) contratou os caras e eles gravaram um CD aqui e fazem shows pela Italia agora. Muito legal.

Diferentemente da previsao do tempo, sabado fez um dia bonito e fomos a Piazza do Duomo, tomamos Gelatto e caminhamos pelos arredores do Duomo, terminando no Parco Sempione, que deve ter algum afrodisiaco no ar, porque em quase todos os bancos em que havia casais, estes estavam em cenas de amor quase que explcitas. Naturalmente, nos quatro estavamos bem comportados.

A noite fomos a uma festa em Milao e entramos de VIP. Uma amiga do Gustavo, que ele conheceu na Alemanha, tinha uns contatos na noite e nos botou pra dentro furando fila e de graça, no melhor estilo brasileiro. Foda que la dentro era a facada, 10€ o drink (pra quem ta de chinelo aqui, parece que é mais). Mas enfim, estavamos la, vamos provar o tal drink que a amiga do gustavo e sua outra amiga pediram, dizendo ser muito bom: Negretto Sbagliato era o nome (pra quem nao sabe “sbagliato”, em italiano, é errado). Dio Santo! Que coisa horrivel! Fica a dica, jamais peçam algo que tem “sbagliato” no nome. Fora isso, a noite ocorreu sem maiores percalços, fora o momento que eu, muito cansado, sentei em um sofa e dei uma cochilada. Pronto, uns italianos muito malandros (muuuuito, uh!) escreveram um cartazinho dizendo “Nao perturbar: bebi o impossivel” e colocaram no meu colo e tiraram fotos e riam de uma maneira desproporcional. Evidentemente, nao vi nada, o Vitor que me contou. A essas alturas devo estar em algum Facebook por ai segurando um cartazinho, no mesmo estilo do cachorro bebado em Punta que tem no meu orkut.

Domingo, novamente, andamos pelos arredores do Duomo. O dia estava bonito de novo e preferimos ficar dando banda do que irmos a algum museu (até porque a maior obra de Milao é a Santa Ceia, de da Vinci, que precisa reservar o bilhete pra ir ver com pelo menos dois meses de antecedencia). Depois disso, voltamos pra casa e ficamos lagarteando la. A Manoela foi embora no domingo, sendo que eu voltei pra Roma na segunda as 7h.

Essa semana ja estou sentindo a lingua menos travada com o italiano. Me comunico melhor na aula (que tem uma americana que é um saco, ela quer falar ingles o tempo inteiro) e com o pessoal aqui da minha casa. Cada vez eles parecem ser mais gente boa, sempre me ajudando quando eu tenho alguma dificuldade. Ontem fui jogar futebol mais uma vez com o pessoal do meu curso. O problema de andar com eles é que, também, soh querem falar ingles, mas foi divertido, sao muito gente boa.

Ontem sacramentei algo que eu ja tinha experimento da outra vez, aperfeiçoando agora: meu molho de queijo brie. Quando eu voltar pro Brasil mostro direitinho àqueles que se candidatarem. Queijo brie, creme de leite e um pouco de pesto. Ele vai com tudo, pode ser molho pra massa, carne vermelha ou até, como eu fiz ontem, pra salada.

Bueno, vou ficando por aqui que eu tenho que ir pra minha aula. Espero que estejam acompanhando as noticias e, aproveita pra mostrar que coloquei um esquema novo aqui no blog: aqui na barra da direita tem um link de um album que fiz com as fotos de Milao.

Vou indo nessa. Beijos e abraços,

Baia

 

Essas feras ai!

Bueno pessoal. Eu tinha criado esse blog como um canal de comunicacao meu com o pessoal que ficou no Brasil ou tantos outros amigos que estao pelo mundo afora. Porem, eu nao tinha conseguido mais escrever porque tinha tido um problema com a senha. Agora ja consegui de novo entao la vamos nos!

Primeiro, hoje estou completando uma semana em Roma. Nos primeiros dias fiquei na casa da minha tia, que fica ao norte da cidade enquanto eu via apartamentos. No domingo, me mudei para este em que estou. Eu tenho um quarto sozinho, sem dividir com ninguem, em uma casa que divido com um casal e uma outra guria. Tem uma cozinha pequena (mas funcional), um banheiro e uma sala alem dos quartos. Vou ficar nesta casa, no maximo, por dois meses, porque estou morando no quarto de uma das donas da casa, que foi fazer uma viagem de 2 meses ao Peru(?).

A outra guria da casa é a irma dela, que é muito parceira, por sinal. O pessoal da casa soh fala italiano e sao bem compreensivos com as minhas dificuldades iniciais do italiano. Pra eu manter uma conversa ainda ta dificil, mas espero que em breve eu perca as travas na lingua (geralmente o vinho ajuda com isso tambem…).

Segunda eu comecei o meu curso de italiano, que tem duracao inicial de 4 semanas. No começo tava bem complicado, porque eu entrei no meio de um dos modulos, entao estou tendo de recuperar umas materias que eu nunca tinha visto. Eh justamente aquela parte chata de gramatica de desinencias e tempos verbais. Blerg! Fora isso, ta legal o curso. Na minha aula sao poucas pessoas. Tem um brasileiro de MG gente boa, uma belga, uma norueguesa, duas americanas, um suiço e tinha um sueco que amanha vai voltar pra Estocolmo.

Ontem fui jogar futebol com os guris la do curso. Quando souberam que eu era brasileiro, falaram que eu devia ser um “football god”, mas durante o jogo viram que, na verdade, eu era um pouco mais do que isso. Brincadeiras a parte, foi bom jogar futebol de novo, eu ja tava com saudades. Deu pra fazer uns golzinhos e dar uns dribles. Aproveitando, fui com a camisa do colorado e, qual a minha supresa quando um dos caras do meu time era de Barcelona, torcia para o proprio e, ainda por cima, era fanatico?! Haha, foi um deleito. Ele falando, com um pouco de raiva “You were lucky” foi o suficiente para eu ja mostrar o ACREDITAVEL pra ele (que depois ele levou pra casa pra assistir, e gostou!). E pra quem reclama dos preços do HD, que tal 5€ pra jogar numa quadra podre de futebol 5?

Bueno, a boa nova é que amanha eu to indo pra Milao passar o final de semana com o Vitor e a Manoela, que tambem ta indo de Firenze pra la. No outro final de semana acho que eu e o Vitor vamos visitar a Manoela em Firenze e, se der, no outro final de semana eles vem pra ca. Diretoria estabelecida em pontos estratéegicos da velha bota.

Hoje, além de ter de comprar a minha passagem de trem pra Milao, foi o dia mais dificil de estudar. Eu nao conseguia parar de ficar lendo noticias esportivas vindas do RS. Me divertia tanto… Eu dava risada com o video do Paulo Santanna puto da cara com a direçao do co-ermao….

Bueno, vou nessa. Espero poder atualizar aqui mais seguido agora. Beijos e abraços a todos! Fico esperando e-mails e scraps de voces!

Depois de alguns percalços, enfim encaminhei meu passaporte português. Ufa! Acredito que já na semana que vem eu já deva ter ele em mãos. Assim, posso comprar a minha passagem e definir o início do curso de italiano.

Momentos de euforia misturados com apreensão. A ansiedade da partida com a angústia de deixar tantas pessoas queridas por aqui. Pelo menos tenho a certeza de que todas elas estarão torcendo por mim e pelo meu sucesso.Espero que no próximo post eu já possa dizer que dia eu vou…

Até mais!

P.S.: acho que só terei mais um jogo no Beira-Rio, contra o Inter-SM na próxima quarta-feira, pela última rodada da primeira fase do Gauchão 2008.
Estádio Beira-Rio

Depois disso, só o Estádio Olímpico de Roma.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.